Morte de Fidel - Gil Vicente Tavares

Hoje é o dia dos odiadores detonarem o homem que transformou um puteiro/balneário dos EUA numa pequena ilha socialista em meio aos tigres do capitalismo, com educação, saúde e cultura invejáveis.

Hoje é o dia dos adoradores exaltarem o homem que foi um ditador, fuzilou pessoas, expulsou e proibiu a entrada de tantas outras, perseguiu homossexuais, limitou a informação, a liberdade de escolhas e conhecimentos.

Tudo tem dois lados. Inclusive eu e você. Ver as coisas de forma maniqueísta é reforçar esse momento imbecil em que vivemos, onde ou Lula é o salvador da pátria, ou é o ladrão chefe da quadrilha, onde defender ideias de esquerda é ser comunista-petista-ex-mamador do erário, ou criticar ideias da esquerda e suas falências é ser direitista-conversador-reaça.

Fidel foi uma das figuras mais importantes do século XX. Fez desgraças e maravilhas. Ao invés dos odiosos reforçarem as desgraças, e os adoradores reforçarem as maravilhas, que tal uma visão crítica apontando para um futuro melhor entre todos nós?

Passei metade da minha vida sonhando em morar em Cuba, e outra metade dando graças a deus por não morar. Esquizofrenia? Não, apenas admirei e refutei um sistema que, como eu e você, tem qualidades e defeitos.

Deixemos de ser maniqueístas e idiotas, um pouco. Respiremos, olhemos à distância e percebamos os matizes da vida.

É preciso estar atento e forte, para que sigamos hasta la victoria siempre.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quando ano novo é sinal de vida nova? - Mario Sérgio Cortella

Resumo do Livro: Educação dos Sentidos - Rubem Alves

Ensino Religioso nas escolas públicas: ressalvas sobre a decisão do STF