O deleite

Quando terminei uma de minhas palestras, uma garota me surpreendeu com uma frase:

- Luciano, sabe o que mais gostei na sua palestra? Foi perceber que você estava se divertindo!

Acho que esse foi um dos maiores elogios que recebi... Se ela percebeu que eu me diverti, a palestra foi um sucesso! Pelo menos para ela.

Você já vivenciou isso? Quando está lidando com uma pessoa que parece estar se divertindo com o que faz? Olhe uma criança brincando, por exemplo. Repare no nível de concentração dela, na entrega total àquele mundo por ela criado. Não é de dar inveja? Pois aprendi a prestar muita atenção nisso. E até algum tempo atrás eu usava essa expressão "divertindo-se" para tratar do assunto. 

Até que tive a curiosidade de procurar um dicionário e descobrir que "diversão" quer dizer recreação, distração, entretenimento, que não era bem o que eu pretendia dizer. Parti então em busca da palavra perfeita. E achei "deleite", que quer dizer gozo íntimo e suave, prazer inteiro, pleno. 

Agora, sim! Sempre que vejo um trabalho bem feito, que me passa um "algo mais" via intuição, uma sensação boa, concluo que alguém ali andou se deleitando. Alguém ali andou tendo prazer. E, acredite, esse deleite é contagioso, passa pra gente pelo brilho nos olhos, pela empolgação no falar, no gestual. E, mesmo que o interlocutor não esteja presente, funciona! É assim com as verdadeiras obras de arte. 

Sabe aquele quadro que você observa e "sente" que algo lhe toca? Aquela melodia que lhe emociona? Aquele poema que lhe massageia a alma? Aquele texto que lhe faz refletir? Pois é. Fique certo que alguém andou se deleitando enquanto produzia aquilo e você foi contagiado. Percebeu?

Por outro lado, quando se perceber contagiado, observe seu interlocutor. Veja se ele está mal-humorado, azedo ou preocupado. Veja se ele está sério ou sereno. Nessa sua percepção estão as pistas, e talvez você descubra que Oscar Wilde estava certo quando escreveu que "a seriedade é o único refúgio dos medíocres".

A grande questão então é: você está se deleitando com o que faz? Deleita-se acompanhando o auditor da ISO 9000? Atendendo a uma reclamação de um cliente? Servindo como caixa no supermercado? Reunindo-se para discutir aquele problema? Ouvindo o rádio enquanto dirige? Corrigindo as provas de seus alunos? Atendendo as solicitações de seus eleitores?

Se não, você está com algum problema. Ou melhor, quem está com algum problema é o seu interlocutor. O coitado jamais sentirá o prazer de lhe dizer que percebeu o seu deleite.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quando ano novo é sinal de vida nova? - Mario Sérgio Cortella

Resumo do Livro: Educação dos Sentidos - Rubem Alves

A morte do quati - Tirinha do Calvin