Casamento & Política: sobre memória seletiva


O comentário abaixo foi feito a propósito do texto referente ao seguinte link: Dom Sebastião voltou. Achei que o comentário ficou legal e decidi publicar aqui.


------
Se fosse tendo uma briguinha com minha esposa, diria: "- Sua memória é que é seletiva!"

Mas é uma maravilha viver numa democracia!

Um respeitável professor universitário - religiosamente apóstata de Lula - faz uma leitura deliciosa e engraçada (por completamente fora de tom) daquilo que seria um messias tupiniquim.

Não dá pra falar em rancor. Não capto. Mas a falta de memória é escancarada. Ou como a da minha esposa, que só lembra das minhas cagadas.

Amenidades à parte, é como se Lula já não tivesse sido demonizado como "comedor de criancinha", "espancador da mulher", "bebum", "despreparado" ou "analfabeto". E isso é o que mais me chama atenção: a memória seletiva. Hoje, receber a pecha de "salvador da pátria" nem chega a fazer cosquinha...hehehe.

Fala que Lula e o PT votaram contra a Constituição e não contextualiza a oposição que apenas nascia (assim como a democracia) à época. Cita Frei Betto em 2002 e omite-se o seu livro "A mosca azul" (de 2006, acho) que - se não desmistifica o mito - desendeusa o messias.

"Nunca antes na história desse país" mais que uma afirmação histórica, é um mantra político. E parece que deu certo. Não há nada que irrite mais a oposição que essa frase e sua implicações no inconsciente coletivo a população. Lula é um gênio!

É, enfim, uma maravilha viver numa democracia.

Só não vale perder a memória.

Aí enfraquece a relação...

Na raça e na paz Dele,
J. Braga.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quando ano novo é sinal de vida nova? - Mario Sérgio Cortella

Resumo do Livro: Educação dos Sentidos - Rubem Alves

A morte do quati - Tirinha do Calvin